quarta-feira, 16 de abril de 2014

Limosoque innocentiae



Em Órion, tudo pode ocorrer. Visitas inesperadas, encontros e desencontros que podem ser letais. Entretanto, a vida continua e o seres são o que são, apesar de tudo e de todos. Piegas, pode ser que sim, porém é a pura verdade. Psiu...
Eles estão entre nós e os grandes deuses do Olimpo, estão se esbaldando de tanto ri. As parcas apenas tecem e fofocam, de olho em Marte... E nós... Sofremos, amamos e outros tantos amos...









Nas florestas de concreto,
Animais bípedes,
Digladiam-se na arena,
Tendo como expectadores bestas e repteis,
Que embriagados,
Se refastelam-se em orgias regadas a sangue e suor.

Nos embates,
Seres mascarados,
Escondem-se em alvas mascaras,
De pureza e inocência,
Entretanto,
Exalam o sulfeto de hidrogênio,
Que empesteando e envenenando o ar,
Sufocando a todos e a tudo.

É lançada com gosto a peçonha,
Que enlameando ao populacho,
Corroendo a e deteriorando tudo.
Tempos modernos!



By: Mônica Vasconcelos

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013






A garota e o espelho.
Mia Hertz.

Há muito que ela se perderá naquele espelho frio e sem vida, fora um mergulho sem volta, não adiantara as lágrimas ou mesmo os pedidos de socorro que gritara durante a noite toda.
A vida sempre aparecerá tão boa e gentil para com ela, entretanto de uma hora para outra, tudo isso acontecera.
Porque?
Esse era o questionamento que volta e meia, surgia em sua cabeça. Sempre martelando sem descanso...
Ontem estava brincando em frente a sua casa, com as suas bonecas e hoje...
Ainda se lembrava do pedaço de torta de limão que a sua mãe lhe fizera e do suco de pitanga do lanche da tarde, o gosto de quero mais lhe perseguiu a tarde inteira, mas tinha a esperança que no jantar mamis iria lhe dá mais um pouco, essa esperança que lhe alimentava o gostinho de querer mais.
E a mamis, era a melhor mãe do mundo, sabia ser uma fada quando queria, entretanto de vez em quando a bruxa má, baixava nela e aí... Era berro a torto e direito, mas tudo com uma entonação de amor, de cuidado e de zelo.
Eu amava a minha mamis, era a minha razão de viver, recordo cada toque, cada palavra, cada cheiro e cada sentimento que ela me transmitia.
Aí, chegou o tal senhor que trabalhava com o meu pai, conversa vai, conversa vem, ele me chamou para ir tomar sorvete com as filhas dele e eu fui, pois ele era amigo do meu pai, então não era um estranho...
Foi a partir daí  que o meu mundo caiu, fui brutalizada, abusada e assassinada...
Gritei, implorei, chorei e nada...
Ainda sinto o fedor do corpo dele, tão grande e pesado me amassando de encontro ao chão frio, a mão pesada me enforcando e enquanto que ele me dilacerava internamente... Fungando feito um porco, ou um demônio, sabe que eu não sei?
Sei apenas que a minha vida, a minha inocência e o meu ser ficou quebrado, jogado e destruído naquele terreno baldio. Hoje sou apenas um vulto, que vive a observar o mundo através do espelho do meu quarto.
Enquanto que espero, que Deus venha me buscar...
E quem sabe no paraíso, eu esqueça todo esse horror e tenha um pouco de paz, e viva com os meus pais.

domingo, 25 de novembro de 2012


Constatações...

Monica Vasconcelos.

 

Estava pensando...

Na realidade,

Estava sentindo,

Saudades de ti.

 

A tua ausência me faz uma falta arretada,

Pois as horas arrastam-se,

Demorando a passar,

A distância tem um gosto de saudade,

Que teima em martelar o dia inteiro,

Evocando sempre a ti.

 

Longe de ti,

Sinto um quê...

Como se algo faltasse...

Um pedaço...

Um olhar azulado...

Meio moleque,

 Meio sério.

 

Mas,

 Quando estou contigo,

Sinto-me em casa,

Com a sensação de estar no lugar certo,

No momento correto,

Com a certeza de ter encontrado,

A pessoa mais do que certa para mim.

Sendo assim,

Sinto que sou:

“Seu passado, seu presente e seu futuro”.

Piegas ou não,

São sentimentos que transbordam em meu ser.

 

 

terça-feira, 9 de outubro de 2012


Entes
Monica Vasconcelos

Pense em seres sequiosos,
Que embevecidos bebem perdidos,
Nos lábios um do outro,
Mergulhados em sensações orgásticas.

Embriagados se encontram e se desencontram,
Na doce tortura da entrega,
Entre um carinho e outro.

Olhos nos olhos,
Submersos em sentimentos,
Alheios a tudo e a todos,
Emergem abraçados, acasalados e atados.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Os sentimentos estão latente a flor da pele!!!


Canção noturna.

Mia Hertz.

Olhares que se trocam,

Mãos que se tocam,

Numa busca incessante.

Bocas que se unem,

Línguas que se envolvem,

Sendo um só respirar.

Corpos que se esfregam,

Suores que escorrem,

Calores que expandem,

No ar noturno.

Larvas correm e escorrem,

Corrente sanguínea abaixo,

Incendiando corpos e razoes,

Que se buscam,

Noite afora,

No quarto crescente.

Olhos cegos e vendados,

Abraços dados e atados,

Corpos unidos e fundidos,

Almas entrelaçadas e enlaçadas,

Corações batendo em um só ritmo,

Melodias soadas aos acordes dos sentimentos.

Amores nascidos e sentidos,

Enraizados em peitos desnudos,

Marmorizados sob a luz do luar,

Recostados e refastelados na lassidão do ato,

No silencio noturno,

Somente eu e você,

Apenas nós e a brisa.


You...

Mia Hertz.

O tempo pode passar...

Mas, o teu ser continua tão vivo dentro de mim,

Quanto antes,

Parece que foi ontem,

Que te vi,

Que te beijei,

Que senti o teu cheiro e o teu corpo contra o meu.

Ainda escuto a tua risada,

Ainda vejo os teus olhos sérios e risonhos,

Uma mistura interessante,

Que me cativou no primeiro instante a qual te vi.

Se isso é amor,

Eu não sei?

Apenas, sei que você continua tão presente quanto antes,

Entretanto tão distante quanto antes,

Aqui eu me encontro só,

Sem ti e sem a paz que a tua presença me proporcionava,

Se isso é amor,

Eu realmente te amei,

A cada louco instante que tivemos.